Ufa, a trilogia Lua Azul está pronta!

Novidade

Hoje postei no meu Face que era um dia especial para mim. Fiz isso porque lá pelas 8h da manhã eu consegui terminar de escrever o terceiro livro da minha trilogia Lua Azul, sob o título “Lua Azul e o Improvável Retorno”. Terminei a última linha praticamente chorando e sei que  muitos sorriem diante deste sentimento clichê, mas, de verdade, escrever um livro é como parir um filho.  

Você tem um papel fundamental no que está sendo feito, mas depois o entrega ao mundo. É o mundo quem irá dizer se ele é bom ou mau. Se corresponde ou não corresponde às expectativas, se será amado ou odiado.  

Quem leu os livros anteriores diz que está morrendo de curiosidade de saber como será o fim da história e, baseada nisto, creio que não fiz feio. Dei total prosseguimento à saga como havia planejado e que existia em minha cabeça desde quando decidi escrever a série. Permaneci firme em todos os meus preceitos.

Não criei cenas de sexo para vender mais livros, não usei a fórmula da sensualidade explícita e não fiz da Zelda uma mulher adulta diferente da adolescente que ela foi. Não que eu seja contra o uso desses artifícios, até penso em escrever algo do gênero, mas entendo que uma trilogia deva ser coerente do começo ao fim.  Zelda amadureceu, tornou-se uma mulher linda e determinada, e ainda assim a sua essência e os seus valores permaneceram os mesmos, acho que como todos nós esperávamos dela.

Também não busquei fórmulas mágicas, não fiz concessões quanto ao uso de palavrões e nem nada do tipo. A história seguiu limpa, coesa, com um linguajar bacana, sem procurar inserir palavras medíocres e nem difíceis de compreender.

Tenho muito orgulho das minhas personagens desta trilogia e do papel que cada uma desempenhou na história. Tenho certeza de quem se encantou com Lua Azul e a Terra Paralela e Lua Azul e a Luta Contra o Medo também vai adorar viver cada uma das próximas emoções do último livro.

Agora é aguardar as muitas revisões, copidesque, diagramação, capa... ufa. Depois a gente fala mais sobre o andamento do livro.

Beijos! Leca